segunda-feira, 10 de setembro de 2007

EcoDesign

Entre os fatores humanos que contribuem para os desequilíbrios ambientais encontramos bens e serviços em cuja concepção, produção e comercialização não se teve em conta o impacto no ambiente. O design ecológico ou Eco-design é uma resposta a esse problema, concebendo lugares, produtos e serviços que reduzem a utilização de recursos não-renováveis ou que minimizam o impacto ambiental. É uma tendência visível nos campos da arquitetura, da engenharia e do design, materializada em espaços e objetos de materiais reciclados, naturais, duráveis e reutilizáveis.


O ecodesign surge como uma resposta à necessidade de introduzir conceitos ambientais, como a poupança de energia, água e de recursos naturais em geral, a minimização de resíduos e emissões e a utilização de fontes de energia renováveis, entre outras, nas várias fases do ciclo de vida do produto. As principais fases do ciclo de vida de um produto são a obtenção das matérias-primas, a produção, a distribuição, a utilização e o destino final. O objetivo principal do eco-design é reduzir o impacto ambiental do produto em todas estas fases.

A idéia base do eco-design consiste na redução dos impactos ambientais de todo o ciclo de vida através de melhorias na concepção de produtos. Duas questões chaves relativamente a este assunto são: Por que é o Ambiente um tópico relevante e com interesse particular para as empresas? e; Qual é a filosofia por detrás das atividades legislativas de, por exemplo, a União Européia? Uma vez entendido porquê o ambiente é um tópico significativo e relevante, as empresas ficam mais capacitadas para lidar de uma forma pró-ativa com os requisitos, não apenas legais, mas também dos consumidores privados e empresariais, do mercado e de outras partes interessadas. Adicionalmente, as empresas que possuem abordagens estratégicas e pró-ativas sobre o EcoDesign, conseguem promover a criatividade e a inovação.


Princípios do Eco-Design
  1. Escolha de materiais de baixo impacto ambiental: menos poluentes, não-tóxicos ou de produção sustentável ou reciclados, ou que requerem menos energia na fabricação.
  2. Eficiência energética: utilizar processos de fabricação com menos energia.
  3. Qualidade e durabilidade: produzir produto que dure mais tempo e funcione melhor a fim de gerar menos lixo.
  4. Modularidade: criar objetos cujas peças possam ser trocadas em caso de defeito, pois assim não é todo o produto que é substituído, o que também gera menos lixo.
  5. Reutilização/Reaproveitamento: Propor objetos feitos a partir da reutilização ou reaproveitamento de outros objetos; projetar o objeto para sobreviver seu ciclo de vida, criar ciclos fechados.
Links interessantes sobre Eco-design:
http://www.jornaldomeioambiente.com.br/JMA-Ecodesign.asp
http://www.zeroresiduos.info/index.php?option=com_ecodesign&task=blogsection&id=25&Itemid=114

2 comentários:

Ana Goul disse...

O Eco design tem q está em primeiro lugar e todos sabem o porque.

Wendel Azevedo disse...

Mandou bem Allan,muito interessante e
impoortante esse papel do profissional de design em relação à conscientização de que todos temos uma parcela de responsabilidade com o
meio ambiente e o futuro do nosso planeta!
É isso ae galera ECO DESIGN também tem que receber uma atenção especial!!