terça-feira, 21 de agosto de 2007

Novo Design

Por Roger Martins Agne

O designer Bruno Batella foi contratado para redesenhar o interior dos novos trens do rio de Janeiro, o design fez uma pasquisa com todas as pessoas envolvidas com o meio de transporte, operadores, equipes de manutenção, epelos passageiros, umas das ações do designer foi valorizar a auto-estima e o confortodos passageiros, pois o povo esperava realmente um trem novo, tendo o conhecimento de que no metrô, eram menos visivel os danos causados pela comunidade, pela falta de espaço e conforto, resolveu criar assim um novo hambiente.

No estudo dos trilhos, o design recordou dos vasos condutores presentes nas folhas, projetando assim angulos arredondados sem angulos retos ou quinas.
os trens são fabricados pela empresa coreana Rotem responsavel pela mecânica e estrutura, alem do interior o design mudou a frente do tren " para tirar a cara de ônibus", tirando também os retrovisores, pois os condutores tem o habito de olhar pela janela.
modificações também tiveram o "manche" se tornando mais sensivel para mais conforto do condutor.

Os bancos de dois tres e quatro lugares foram feitos de fibra de vidro, com tecidos antichama de alta gramatura, os anteparos como dito anteriormente não possuem angulos retos, e tem desenho semelhante a uma folha.

A ferrovia e o transporte ferroviário

No transporte ferroviario, um trem ou comboio consiste em um ou vários veículos, ligados entre si e capazes de se movimentarem sobre uma linha ou trilho, para transportarem pessoas ou carga de um lado para outro, segundo uma rota previamente planeada. A linha ou trilho, normalmente é constituída pelos convencionais carris duplos, por monocarril, ou ainda por levitação magnética. O comboio pode ser puxado por uma locomotiva ou por uma unidade auto alimentada que podem ser unidades simples ou múltiplas.

O trem ou comboio, puxado pela máquina a vapor teve uma importância enorme nos últimos duzentos anos da história da humanidade. Ele foi sem dúvida o elemento mais importante da Revolução Industrial, permitindo a deslocação das matérias primas para as fábricas rápida e eficazmente e levando os produtos acabados a pessoas, a regiões distantes e aos países onde eram mais necessários.

Foi importantíssima a sua contribuição nas Primeira e Segunda Guerras Mundiais, levando rapidamente homens e armas onde estes mais falta faziam. Foram os comboios, a quem os índios chamaram Cavalo de Ferro, que ajudaram os colonos ingleses a desbravar o oeste americano e a construir o que hoje é considerado como a maior potência mundial, na agricultura, produtos que corriam o risco de ficar nas regiões onde eram produzidos, puderam começar a ser despachados para grandes distâncias, havendo muito menor risco da sua degradação e encorajando assim, o aumento das produções.

Ao redor das estações ferroviárias, nasceram e cresceram vilas e cidades, onde até aí, nada existia; a construção das linhas ferroviárias empregou muitos milhares de pessoas, de cidades, regiões e até de países diferentes, contribuindo assim para aproximar diferentes povos e culturas.





Historia

O jesuíta belga Ferdinand Verbiest teria sido um dos precursores do comboio em Pequim, ao idealizar em 1681 uma máquina auto-propulsora a vapor. Em 1769, Joseph Cugnot, militar francês, construiu em Paris uma máquina a vapor para o transporte de munições. Após várias tentativas fracassadas, Richard Trevithick, engenheiro inglês, conseguiu em 1804, construir uma locomotiva que conseguiu puxar cinco vagões com dez toneladas de carga e setenta passageiros à velocidade vertiginosa de 8 km por hora usando para o efeito carris fabricados em ferro-fundido.

Atualmente o Korea Train Express é um sistema ferroviário de alta-velocidade da Coreia do Sul operado pela companhia Korail. A tecnologia do comboio é baseado no sistema de TGV francês, apresentando velocidades de mais de 300km/h. A 16 de Dezembro de 2004 o comboio coreano HSR-350X efetuou uma viagem de testes alcançando os 352.4km/h.

Os trens estão há muito tempo ligados as nossas vidas e evoluções, cada vez mais rapidos, mais leves, e agora graças a Bruno Batella, mais comodos.

Nenhum comentário: